Iniciação e história da Fada Feliz – 5ª parte (e última)

Agosto de 2010

Recebi instruções noturnas das minhas aulas de fada

Disseram para pegar na minha varinha magica e fizesse um determinado exercicio.

Peguei nela e fazia… mas senti-me, com o passar do tempo, um pouco ridicula em pegar uma varinha de uma arvore (que é a minha varinha magica) e fazer visivelmente esse exercico

Muitas vezes, na rua dava vontade de fazer… mas não tinha a varinha á mão… Esperava para chegar a casa e pegar nela e fazer o exercico, com alguma anciedade.

Um dia, senti-me tão riducula em fazer isso que deixei

Comecei a pensar dos meus momentos magicos descritos anteriormente… pois ate comeceia a duvidar da minha iniciação de Fada, pelo ridiculo que sentia em usar a varinha.

Um dia, ao escutar um audio privado de uma lista privada, a moderadora disse que era iciciada em Wicca e tinha seu “cajado” magico

Que fazia isto e aquilo.. que acreditava no que fazia.. e que as coisas de facto resultavam para ela.

Senti que foi um belo puxão de orelhas…. o que eu estava a perder o meu acreditar no que me diziam nocturnamente

Me dei conta que não precisava de pegar na minha varinha de arvore… pois o que me tinham dado era uma varinha espiritual… a varinha de arvore é somente simbolica e era para eu lembrar que sou Fada iniciada espiritualmente

Minha varinha de arvore está no meu quarto… ao lado da minha cabeceira.

Deixei de pegar nela… e comecei a pegar na minha varinha espiritual e a fazer esse exercicio, tantas vezes quantas me dava vontade em qualquer lugar.

Com o tempo, me dava conta de coisas:

– Me via, fisicamente, parte de meu corpo, principalmente meu braço direito, com um vestido branco brilhante, manga larga e a minha varinha na mão

– Com o tempo, e com os exercicos, me pergutavam para que era a varinha, suas caracteristicas… eu definia as caracteristicas, modo de utilização, modo de actuação, de uma forma de compromisso de Fada com o Universo

– Quando me dei conta que podia enviar as varinhas… enviava para as pessoas que conhecia… familiares, amigos… e com o tempo, admirada, via mudanças ligeiras nas vidas dessas pessoas

– Quando enviava para cima da minha cabeça, mais admirada ficava… provocava um sorriso imediato… e muitas vezes sentia / via sua energia caindo como gotas de chuva brilhantes

– Quando sentia alguma dúvida ou minhas energias iam abaixo com algum problema do dia-a-dia… enviava uma varinha para mim, e imeditamente sentia bem melhor…

– Por vezes, sabia de alguem com um problema… mesmo sem conhecer a pessoa, comecei a enviar varinhas a quem não conhecia…

– Sempre estive atenta às mudanças que verificava nas pessoas que enviava varinhas

– Não tive qualquer problema em enviar varinhas sem o conscentimento das pessoas, pois ela, a varinha, não se impõe á vontade de ninguem… se a pessoa não aceitar esse novo tipo de energia, a varinha simplesmente desaparece

 

Outubro e Novembro 2010

Resolvi abrir um perfil no faceBook para enviar varinhas e colocar os meus conhecimentos de medicina alternativa e de auto ajuda, que pratiquei durante muitos anos em mim e compartilhei via mail a outras pessoas, para quem necessitasse deles e aceitasse

As coisas foram fabulzas

Em cerca de um mês e meio, que existiu esse espaço, tenho consciencia plena, da ajuda prestada.. das mudanças de vida que consegui operar, pois essas pessoas que mudaram, assim o permitiram

Registo dois casos com a varinha que achei muito interessantes:

– no chat me pediram uma varinha, e eu enviei… a pessoa sentiu sua energia e identificou sendo Reiki. A pessoa perguntou se eu era reiquina, pois sentia que vinha da varinha essa energia. Nesse momento, me dei conta, que minha varinha para alem das funções que ela foi criada, ela tem as energias que eu mesma fui iniciada e que usei em mim. Isso fez com que minha varinha, estivesse mais “completa” com as diversas energias de cura e de ajuda.

– Outra pessoa no chat, pediu uma varinha e disse sentir-se zonza rsss

– No entanto eu comecei a ver mudanças nas vidas das pessoas, na maneira de estar…

Foram momentos muito gratificante,

Fui expulsa no face, por denúncia, por não ter foto minha e o nome não ser o meu que está registado no civil, já que meu espaço era de auto ajuda sem fins lucrativos.

O face obrigavam a minha identificação, com digitalização da minha documentação (BI, Bilhete de identidade ou carteira de identidade)

Para alem desse gesto ser ilegal, não o dei, e eles mantiveram minha exclusão, apesar de, naquele momento, havia no face mais duas designações como a minha de Fada Feliz e essas não foram excluídas

Dediquei-me ao blog que me deram, e para minha surpresa descobria que havia pessoas ainda procurando pela Fada, isso me alegrou e me incentivou a voltar…

Através do meu pêndulo disse que devia voltar com o mesmo nome… só tive que criar outro mail que não uso, pois o que uso é fada7feliz@gmail.com

Por essas pessoas que de facto necessitavam de alguém que as escutasse… e que, na medida do possível, dava uma orientação… uma sugestão… um carinho… e energia de diversas maneiras, novas maneias de ver a vida e novas ferramentas espirituais de auto ajuda.

Por essas pessoas, resolvi voltar com esta pagina actual

Eu sou a Fada Feliz, espalhando felicidade.

 

Esta entrada foi publicada em Fada Feliz, Iniciação e história da Fada Feliz. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s